Entorse de Tornozelo (Tornozelo torcido)

Oriunda de um trauma torcional, a entorse de tornozelo é um diagnóstico que implica na lesão ligamentar.

O tornozelo é formado pelo maléolo medial, lateral, tálus e pilão, estabilizado por ligamentos fortes. (Anatomia do pé)

A estrutura óssea do tornozelo forma uma pinça estável, e mesmo que haja lesão ligamentar, se permitirmos que os ossos se mantenham na posição adequada, teremos uma cicatrização ligamentar que resultará em uma suficiência e estabilidade pós lesão. Na maior parte dos casos com o tratamento não cirúrgico, com exceção das lesões instáveis da sindesmose.

Classificamos em 3 graus

  1. Distensão ligamentar: quando o ligamento é puxado, porém não se rompe
  2. Lesão parcial: quando as fibras dos ligamentos não estão completamente rompidas
  3. Lesão total: observando uma lesão completa do ligamento

Quanto maior o grau, maior será a dor, o inchaço (edema), equimose (manchas roxas na pele) e a dificuldade para andar.

É extremamente importante fazermos o diagnóstico diferencial entre a entorse e outras possíveis lesões, como fraturas dos metatarsais, calcâneo e mediopé, luxações do mediopé, lesões osteocondrais e lesões tendíneas. Diferentes diagnósticos apresentam diferentes prognósticos e condutas.

Temos diversas possibilidades de tratamento não cirúrgico da entorse do tornozelo, com gesso, tala e órteses, com e sem carga. Os melhores resultados são obtidos com órteses pré-fabricadas, que mantêm a posição adequada das estruturas do tornozelo, evitam momentos de forças torcionais e permitem carga imediata, conforme o paciente tolerar.

Essas órteses, por serem removíveis, permitem iniciar a reabilitação imediatamente, com mobilidade e fortalecimento, promovendo uma cicatrização mais eficaz e retorno mais precoce às atividades habituais.

As lesões ligamentares laterais são as mais comuns, acometendo os ligamentos tíbio-talar anterior e tíbio-calcaneano.

O acometimento do complexo ligamentar deltóide, formado pelos ligamentos mediais do tornozelo, geralmente ocorrem por traumas com maiores energias, implicando em maior gravidade.

As lesões ligamentares entre a tíbia e a fíbula, a sindesmose, devem ser avaliadas com cuidado, pois a instabilidade da região leva a um mau posicionamento do tálus em relação à tíbia, com movimentação inadequada, dor e osteoartrite, sendo geralmente de tratamento cirúrgico.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *